INDICE DE MASSA CORPORAL E SST

Domingo, 21 Setembro 2014 09:16
Avalie este item
(0 votos)

O Estudo examinou a influência do sobrepeso e obesidade associada às ocorrências de faltas ao trabalho por problemas de saúde, o tempo de afastamento e à qualidade de vida de 633 trabalhadores colombianos. Foram selecionados trabalhadores aparentemente saudáveis utilizando-se o cálculo de índice de massa corporal como marcador do estado nutricional e baseado em recomendações da Organização Mundial de Saúde. Os dados foram coletados através de entrevistas realizadas por especialistas e exame físico dos participantes. A frequência (prevalência), duração e custo de horas paradas (em dólares americanos) dos trabalhadores afastados por doença foram comparadas no ano de 2012 explorando a associação com as medidas de do Índice de Massa Corporal e Qualidade de Vida. A idade média dos partipantes foi de 35,4 e 77% era composta de trabalhadores do sexo masculino.

Fotografia capturada no Pavilhão dos Posters do Congresso Mundial em SST, na Alemanha (2014).
Poster publicado por especialistas em SST da Universidade de San Boaventura de Cartagena, Colômbia.

 

O Estudo examinou a influência do sobrepeso e obesidade associada às ocorrências de faltas ao trabalho por problemas de saúde, o tempo de afastamento e à qualidade de vida de 633 trabalhadores colombianos. Foram selecionados trabalhadores aparentemente saudáveis utilizando-se o cálculo de índice de massa corporal como marcador do estado nutricional e baseado em recomendações da Organização Mundial de Saúde. Os dados foram coletados através de entrevistas realizadas por especialistas e exame físico dos participantes. A frequência (prevalência), duração e custo de horas paradas (em dólares americanos) dos trabalhadores afastados por doença foram comparadas no ano de 2012 explorando a associação com as medidas de do Índice de Massa Corporal e Qualidade de Vida. A idade média dos partipantes foi de 35,4 e 77% era composta de trabalhadores do sexo masculino.

INTRODUÇÃO

índice de massa corporal (IMC) é uma medida internacional usada para calcular se uma pessoa está no peso ideal, tendo sido desenvolvido como um método fácil e rápido para a avaliação do nível de gordura de cada pessoa, ou seja, é um preditor internacional de obesidade adotado pela Organização Mundial da Saúde  (OMS).

O IMC é determinado pela divisão da massa do indivíduo pelo quadrado de sua altura, em que a massa  está em quilogramas e a altura em metros.

Exemplo de IMC

Para uma pessoa com 88 quilogramas de massa e 1,89 metros de altura, teremos:

IMC

Classificação

< 16 Magreza grave
16 a < 17 Magreza moderada
17 a < 18,5 Magreza leve
18,5 a < 25 Saudável
25 a < 30 Sobrepeso
30 a < 35 Obesidade Grau I
35 a < 40 Obesidade Grau II (severa)
≥ 40 Obesidade Grau III (mórbida)

 

Índice ideal

 

Um IMC entre 20 e 22 indica a quantidade ideal, saudável de gordura corporal, o que está associado com maior tempo de vida e menor incidência de doenças graves. Coincidentemente, essa relação é o que muitas pessoas consideram ser «o mais esteticamente atraente». Entretanto, é importante ressaltar que um índice entre 22 e 25 também é considerado um intervalo bastante aceitável, pois está igualmente associado à boa saúde. (Fonte wikipedia).

 

O ESTUDO COLOMBIANO
 (CONGRESSO MUNDIAL)

 

Agredo Zuñiga, Ricardo Antonio (Universidad de San Buenaventura Cartagena)
Lopez Alban, Carlos Alejandro (ZOE Calidad de Vida)
García Ordoñez, Emily Sofia (Fisioterapia Integral para Todos FIT)

 


OBJETIVO E MÉTODOS

 

O Estudo examinou a influência do sobrepeso e obesidade associada às ocorrências de faltas ao trabalho por problemas de saúde, o tempo de afastamento e à qualidade de vida de 633 trabalhadores colombianos. Foram selecionados trabalhadores aparentemente saudáveis utilizando-se o cálculo de índice de massa corporal como marcador do estado nutricional e baseado em recomendações da Organização Mundial de Saúde. Os dados foram coletados através de entrevistas realizadas por especialistas e exame físico dos participantes. A frequência (prevalência), duração e custo de horas paradas (em dólares americanos) dos trabalhadores afastados por doença foram comparadas no ano de 2012 explorando a associação com as medidas de do Índice de Massa Corporal e Qualidade de Vida. A idade média dos partipantes foi de 35,4 e 77% era composta de trabalhadores do sexo masculino.

 

CONCLUSÕES

 

A metade dos trabalhadores apresentavam risco moderado de sofrer doença cardiovascular de acordo com o Índice de Massa Corporal (o IMC igual ou maior de 25). O IMC igual ou acima de 25 nos trabalhadores estava associado com aumento de faltas ao trabalho por doença, a um período maior de afastamento do trabalho e a um maior custo econômico. A prevalência de sobrepeso e obesidade foi de 34 e 18% respectivamente. Sobrepeso e obesidade afetam de forma negativa a saúde e qualidade de vida dos trabalhadores. Recomenda-se a adoção de programas de promoção de um estilo de vida mais saudável entre trabalhadores podendo se constituir uma estratégia de impacto na saúde pública, produtividade e economia das empresas e bem estar dos trabalhadores.

 

Veja os quadros abaixo, comparando-se o IMC dos trabalhadores a alguns eventos projetados pelo Estudo:

 

NOTA DA TRADUÇÃO

Abrindo a NR-7 (acesse o menu Remissivo do site NRFACIL) encontramos as diretrizes do PCMSO sobre o caráter de prevenção, rastreamento e diagnóstico precoce dos agravos à saúde, inclusive de natureza subclínica (como é o caso dos riscos de sobrepeso e obesidade). Constata-se que no PCMSO o Médico do Trabalho deveria incluir o sobrepeso e a obesidade como novos fatores de risco a serem observados e consignados nos Atestados de Saúde Ocupacional (ASO).

 


 

Tradução e contextualização:

 

Lido 273 vezes Última modificação em Segunda, 22 Setembro 2014 00:53